Arquétipos, Complexos e o self (complemento)

Os arquétipos estão para o inconsciente, assim como os complexos estão para a consciência. O Inconsciente é o Tempo, por isso sua origem remota ao princípio da criação do universo. A consciência é o espaço, por isso sua existência é efêmera e condicionada pela experiência espacial.  São as energias que definem o arquétipo no inconsciente e não os conceitos,  por isso a energia ao longo do Tempo é a mesma, enquanto que no espaço, na consciência,  foram chamadas de vários nomes, Deus, amor ou gravidade, conforme os limites espacial da consciência, mas estas denominações  possuem a mesma energia,  semelhante,  a mesma da lei da atração do Universo, ou  a mesma do movimento de criação da existência.
A energia que moveu toda a criação do universo,  está no inconsciente na forma de arquétipo, como a cristaliza;’ao do padrão para essa energia. Essa energia de movimento criador, Deus ou o Amor,  se concentra no arquétipo do self, porque o self é o arquétipo da energia vital, a mesma energia que se manifesta em toda natureza da criação.   Essa energia pode ser vista pela nossa consciência como sendo o Amor, como sendo Deus ou poderia se chamar de gravidade ou outro nome, mas  a energia sempre será a mesma, ou semelhante, no inconsciente.

Assim, os complexos que se criam na consciência em torno do amor, de Deus, sempre irão fazer pontes ao mesmo arquétipo no inconsciente pela semelhança de energia. O que nos faz lembrar o princícpio da alquimia.

Os complexos na consciência possuem elementos da consciência, apesar destes complexos serem inconscientes para a própria consciência, porém eles podem ser definidos conceitualmente como sendo um complexo relacionado a Deus ou ao amor, mas no inconsciente os arquétipos não são definidos dessa forma, mas sim, pela energia, intensidade e influência que exercem. Ou seja, minha experiência nesse espaço com o Amor, me faz criar na consciência o complexo do amor, ou a minha crença ou não em um Deus, me faz criar na consciência um complexo para Deus, porém estes complexos, de amor, Deus,  irão sempre ligar ao mesmo arquétipo no inconsciente, atraídos por possuírem energias semelhantes.

A individuação é um fenômeno da natureza, nós chamamos de individuação a um nível do indivíduo, mas na natureza este processo de síntese, de união de elementos e forças,  e equilíbrio de energias, já acontecem. Nós somos apenas mais uma natureza, obedecendo ao mesmo movimento ou as mesmas leis da existência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s