Alquimia da Individuação

Em nosso inconsciente existe um centro regulador, que pode ser chamado de Self. Este centro concentra em si mesmo a síntese de energias positivas, como uma energia nuclear.  Este núcleo central pulsa na sua imagem refletida no espaço , que deve responder no mesmo sentido do núcleo, para que o movimento do Todo seja ordenado. Esta imagem refletora é o Ego, que nessa relação com o Self,  cria o movimento do desejo. Assim como no átomo, e o próton que se localizado no núcleo, de carga positiva, e tem em sua órbira o elétron que se movimenta desordenadamente,  criando a mecânica quântica da dualidade, onda e partícula.  Só a energia do núcleo é capaz de manter o elétron numa camada orbital sem que ele se perca no espaço.

Na relação inconsciente e consciente numa individuação, é como uma ligação e mistura química, os dois lados, cada um com seu núcleo, Self e Ego respectivamente,  trocam energia. Se o elétron da última camada de um dos átomos consegue penetrar no outro átomo,  então os dois se aceitam e se misturam de forma homogênea na totalidade.  Esse elétron representa um desejo da energia do núcleo, ou a sincronicidade de uma energia, que pode ser a da verdade, do Amor ou da fé. A energia do Self,  é do Amor e da verdade em si mesmo, que concentrado torna-se a energia da fé,  concentra forças de liberação de energia para o movimento, enquanto que o Ego é um processador dessa energia liberada,  para a síntese na vontade e direção do movimento. Quando o pulso move o impulso, a individuação caminha para um movimento contínuo. Quando o impulso não segue ao pulso, a individuação não acontece pela dispersão dos desejos no instinto da libido.

Em nosso incosnciente existe somente um instinto, o instinto da libido, que como em um sistema de rodanas, recebe do centro organizador a energia da luz para o movimento infinito, criando a energia cinética.

O instinto da sobrevivência é determinado pelo Self que concentra em si o Tempo eterno,  além das outras energias nucleares, positivas por estarem no núcleo, como são os prótons em relação aos elétrons. E como um sol que se alimenta para manter sua luz.  Este centro ou núcleo ou self é que aciona a libido para o movimento e gera os impulsos do desejo e da Vontade, que podem se manifestar no desejo de sobrevivência, da fome,  do prazer, do Amor de almas ou outros. Esse  movmento sincrônico do self e da libido, do inconsciente e da consciência é que gera o movimento contínuo e equilibrado dos opostos na relação de dualidade da psique.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s